Resistência ao impacto: Como determinar?

Resistência ao impacto pode determinar as aplicações de um produto

O teste de Resistência ao Impacto avalia as propriedades dos materiais sob uma solicitação de alta carga sob um curto espaço de tempo, sob altas velocidades. É, portanto, um ensaio determinante das propriedades de curta duração de um material. Diferentemente das propriedades de longa duração, não avalia a sua variação em função do tempo. Para polímeros é um ensaio de grande importância na determinação de seu desempenho mecânico e, consequentemente, de suas aplicações.

Como mensurar a resistência?

Os testes de Resistência ao Impacto mais comuns são os chamados testes pendulares. Nestes ensaios a amostra é atingida por um pêndulo de determinada massa, que é levantado a uma determinada altura, ou seja, com uma determinada energia potencial, provocando deformação ou fratura no material. A energia absorvida pelo material é então calculada pela diferença de altura alcançada pelo pêndulo antes e depois de atingir a amostra. A energia absorvida é reportada em termos de energia absorvida por unidade de espessura (J/m) ou energia absorvida por unidade de área.

Destes ensaios, destacam-se os métodos Charpy e Izod de impacto, frequentemente realizados em polímeros de acordo com as normas ASTM D256, ASTM D4812, ASTM D6110 , ISO 179 e ISO 180. O ensaio Izod é realizado em amostras engastadas verticalmente, enquanto no método Charpy, a amostra se encontra em posição horizontal, como uma flexão de três pontos. Entre as normas mencionadas, as principais diferenças se encontram nas dimensões padrão de corpos de prova e necessidade ou não de entalhe e suas dimensões. O entalhe é um ponto concentrador de tensão que é criado nas amostras de forma a proporcionar uma fratura frágil ao invés de dúctil durante o ensaio.

Equipamento de Ensaio de Impacto

Figura: Equipamento de Ensaio de Impacto

O teste pode ser comprometido se não seguir as normas

Os materiais poliméricos e os compósitos, no entanto, têm suas propriedades influenciáveis por alguns fatores como temperatura do ensaio, pois se comportam de maneira frágil abaixo de determinada temperatura, da sua susceptibilidade ao efeito concentrador de tensão do entalhe, das suas características como massa molar, copolimerização ou presença de partículas de elastômeros, ou cargas e reforços fibrosos, entre outros. Dada aí a importância da realização destes ensaios sob as normas e interpretados por pessoal técnico qualificado para analisar a influência destes vários fatores na propriedade obtida.

 

Afinko Polímeros realiza ensaios de resistência ao impacto tanto Charpy quanto Izod. Atendemos as normas ASTM D256, ASTM D4812, ASTM D6110 , ISO 179 e ISO 180.  Além disso, criamos dispositivos para atender melhor as solicitações. Com nossa área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, podemos desenvolver estratégias e projetos com o intuito de aprimorar os materiais e produtos. Tem interesse em saber mais sobre nossa área de PD&IAcesse aqui para saber mais.

Tem interesse em realizar um Ensaio de Resistência ao Impacto?
Solicite um orçamento: https://afinkopolimeros.com.br/servicos/ensaios-laboratoriais/ensaios-mecanicos/#impacto

Gostou da matéria? Tem mais no nosso blog. Confira mais em: www.afinkopolimeros.com.br/blog

 


Nós indicamos:

1) Mechanical Properties of Polymers and Composites. Robert F. Landel, Lawrence E. Nielsen, 2ª Edição, CRC Press, 1993

2) Normas ASTM D256, D4812, D6110 e ISO 179 e 180.

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

Os comentários estão fechados.