Baquelite 1900 e IMac 1999

Os Plásticos no século XX: Uma breve história

A história dos plásticos começa substituindo materiais como marfim e a madeira.

 

Plásticos na primeira metade do século XX

Em 1900 surge a baquelite, o primeiro dos plásticos sintéticos comerciais, com o intuito de substituir o marfim dos elefantes, os cascos e os chifres bovinos. A baquelite está em uso até hoje, devido sua versatilidade e modernidade.

Durante os anos 30 houve dois desenvolvimentos impactantes para a indústria do plástico:

  • produção do Poliestireno (PS), polímeros acrílicos e o poli (cloreto de vinila) a partir do petróleo;
  • Moldagem por injeção tornou-se automática;

Com isso, os valores dos produtos foram reduzidos, tornando-os mais acessíveis para os consumidores e produtores. Um exemplo é o PMMA – Poli (metil metacrilato) (Acrílico) que começou a ser utilizado na produção de cabines de aeronaves e outras proteções.

Aeronave americana de 1940

Aeronave americana de 1940

Ainda nos anos 30, mais precisamente em 1938, o Nylon ® (Poliamida) foi inventado pelo químico Wallace Hume Carothers. Este foi a primeira fibra têxtil sintética produzida pelo homem de forma que, assim, o plástico entrava também no âmbito da moda, do estilo, da vaidade e da elegância na fabricação das meias-calças. Para se ter uma ideia, 64 milhões de meias-calças vendidas em apenas um ano.

Os plásticos foram pouco a pouco virando tendência na indústria têxtil. Nos anos 50, tecidos como poliéster, Nylon® e Lycra®, que eram fáceis de lavar, dispensavam a necessidade de passar roupa e tinham baixo custo, tornaram-se muito populares. Além disso, nos mesmos anos, houve um crescimento dos laminados decorativos, conhecidos como Formica®, muito populares em lanchonetes e restaurantes norte-americanos, somado a fabricação de utensílios domésticos a partir da resina melamina-formaldeído.

Plásticos na segunda metade do século XX

No início segunda metade do século XX, o plástico atinge seu ápice em móveis, lustres, utensílios, tecidos, acessórios, entre outros, ao ponto que tudo deveria ser de plástico colorido, chamativo, de formato exótico e acabamento perfeito. Por muitos anos, o plástico foi referência em estética, visual e bom gosto, devido ao seu apelo futurista e arrojado.

Concomitantemente ocorria a corrida especial em que os plásticos tornaram-se fundamentais na produção de componentes para naves espaciais, devido ao seu baixo peso e versatilidade.

Nos anos 70 e 80, os plásticos se inseriram mais ainda no dia a dia das pessoas. Passaram a ser utilizados em produtos como fitas k7 e VHS, máquinas fotográficas e aparelhos de som. Além disso, em 1988, os automóveis já contavam com 11% de plásticos na sua totalidade.

Fita VHS e aparelho de vídeo, produtos confeccionados com plásticos

Fita VHS e aparelho de vídeo

Embora os plásticos já fossem produtos um tanto quanto “maduros”, houve importantes desenvolvimentos na década de 90. Um exemplo é a criação de sofisticados filmes multicamadas extremamente finos e eficientes, proporcionando mais tempo de prateleira e frescor aos produtos. Somado a isso, com o aumento do engajamento no assunto de proteção ambiental, novas técnicas para reciclar e recuperar produtos plásticos foram desenvolvidas.

Em breve lançaremos uma pequena história do plástico no século XXI, seus avanços e perspectivas para o futuro.

Quer saber mais sobre plásticos e polímeros?

 

Gostou da matéria?

Acesse agora nosso blog e confira essas e outras: https://afinkopolimeros.com.br/blog/

Nos acompanhe também pelo Facebook: https://pt-br.facebook.com/afinkopolimeros/