O que é a Nova Economia dos Plásticos?

Mais de 70% do plástico produzido no mundo todo é depositado em aterros ou lançado em cursos d’água.

A todo momento estamos rodeados por peças plásticas. Em embalagens, nos carros, nos eletrodomésticos, nos revestimentos de móveis, enfim…

Entretanto, segundo estudos da Fundação Ellen MacArthur, apenas 14% de todo o plástico utilizado é reciclado. Isso significa que 80 a 120 bilhões de dólares são jogados fora após uma única utilização.

O mesmo estudo mostra que até 2050, existirá, em peso, mais plásticos do que peixes no oceano.

Figura: Infográfico que demonstra a previsão do consumo de plástico para 2050. Fonte: New Plastics Economy
Figura: Infográfico que demonstra a previsão do consumo de plástico para 2050. Fonte: New Plastics Economy

Nova Economia dos Plásticos veio para mudar isso!

Baseado na economia circular, a Fundação reuniu grandes interessados em repensar e redesenhar o futuro dos plásticos, criando a Nova Economia dos Plásticos (New Plastics Economy), cuja proposta é que nenhum plástico seja desperdiçado e se torne poluente. Para isso, três ações são necessárias para criar uma economia circular para o plástico. São elas:

  1. Eliminar todos os itens de plástico problemáticos e desnecessários.
  2. Inovar para garantir que os plásticos que precisamos são reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis.
  3. Circular todos os itens de plástico que usamos para mantê-los na economia e fora do ambiente.

O primeiro ponto abordado é a necessidade de um redesenho das embalagens plásticas existentes no mercado. O principal objetivo é torna-las reutilizáveis ou recicláveis. Por exemplo, no caso de embalagens multicamadas, 13% delas possuem materiais diferentes que dificultam sua reciclagem.

Figura: Infográfico que demonstra a atual economia linear do plástico. Fonte: New Plastics Economy.
Figura: Infográfico que demonstra a atual economia linear do plástico. Fonte: New Plastics Economy.
Figura: Infográfico que demonstra a economia circular proposta para o plástico. Fonte: New Plastics Economy.
Figura: Infográfico que demonstra a economia circular proposta para o plástico. Fonte: New Plastics Economy.

Quem topou?

Em outubro de 2018, a Nova Economia de Plásticos lançou, juntamente com a ONU, o Compromisso Global, que reúne mais de 250 organizações para enfrentar a crise dos resíduos de plásticos e da poluição através de um conjunto de metas. Porém, este grupo representa apenas 20% das empresas que utilizam embalagens plásticas – algumas delas são: Danone, grupo H&M, L’Óréal, Mars e Unilever.

Apesar do Brasil não estar entre os países adeptos ao Compromisso Global, empresas como Boomera, Coca-Cola FEMSA, Natura e POSITIV.A, são adeptas. Além disso, instituições como a Universidade de São Paulo e o Insper também aderiram. Entretanto, nosso país já possui a Lei 12.305/2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (nós já falamos sobre ela aqui).

Tem algum produto que deseja repensar e redesenhar para melhorar o mundo?
Quer estudar a reciclabilidade do seu produto?
Entre em contato conosco!

A Afinko Soluções em Polímeros possui um time extremamente capacitado que pode lhe auxiliar.

Gostou da matéria?

Acesse agora nosso blog e confira essas e outras: https://afinkopolimeros.com.br/blog/


Nós recomendamos:

New Plastics Economy
Plástico Transforma
Revista Plásticos