Saiba tudo sobre Ensaio de Tração agora!

Um dos ensaios mais realizados por nós, o ensaio de tração oferece diversas informações sobre as propriedades mecânicas de um material.

Basicamente, um corpo de prova é submetido a um esforço (força) uniaxial que tende a alongá-lo até à fratura.

O ensaio pode ser realizado em produtos acabados ou em corpos de prova. Em produtos acabados, o ensaio procura simular as condições de uso/funcionamento. Já em corpos de prova, é possível analisar as propriedades do material independente das estruturas/formato, permitindo a comparação e reprodução dos resultados. O formato e medidas dos corpos de prova são determinados através de normas técnicas como ABNT e ISO. Isso acontece devido ao fato de que propriedades como limite de elasticidade, resistência, alongamento e etc, são diretamente afetadas pelo formato e tamanho da peça a ser analisada, e também pela velocidade de aplicação da carga.

 Como é realizado?

O corpo de prova ou produto acabado é fixado pelas suas extremidades nas garras de fixação da máquina de tração. É então aplicada uma força através da aplicação de uma carga gradativa e registrando cada valor de força correspondente a um diferente tipo de alongamento do material (alongamento este medido por um extensomêtro). O ensaio termina quando o material se rompe ou até o limite da máquina.

O corpo de prova é estirado sofrendo uma estricção na região central da peça, conforme a figura abaixo. A ruptura sempre se dá nessa região. Exceto se um defeito interno no material, fora dessa região, promova a ruptura.

Gráfico de Tensão x Deformação - Demonstração da região central do corpo de prova.

Gráfico de Tensão x Deformação – Demonstração da região central do corpo de prova.

Quais são os resultados?

Como resultado, obtém-se um gráfico tensão x deformação.  Através dele é possível analisar o comportamento do material do início do ensaio, até a ruptura, e obter as informações descritas na imagem:

Gráfico de Tensão x Deformação

Gráfico de Tensão x Deformação

Somado a estes elongação na ruptura, tensão na ruptura, deformação na ruptura, o limite de resistência à tração (ou Tensão máxima de Tração) e deformação no escoamento.

Além dos fatores já mencionados, os resultados podem ser afetados pelo tipo de polímero, temperatura de realização do ensaio, presença de fibras, cargas e outros fatores.

No próximo artigo nós iremos explicar a influência destes fatores.

 

Gostou da matéria?
Acesse outras em nosso blog: www.afinkopolimeros.com.br/blog

Tem interesse em realizar um Ensaio de Tração?
Entre em contato conosco: https://afinkopolimeros.com.br/servicos/ensaios-laboratoriais/ensaios-mecanicos/


Nós recomendamos:

CALLISTER, W. D., Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução. John Wiley & Sons, Inc., 2002.

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] você ainda não sabe o que é o ensaio de tração, clique aqui e veja nosso texto da semana […]

Os comentários estão fechados.