Peças de lego

6 plásticos (polímeros) mais consumidos no Brasil em 2017

Foram consumidas 6,5 milhões de toneladas de resinas poliméricas em 2017. Sabia agora quais são as mais consumidas, segundo a ABIPLAST.

 

1)     PE – Polietileno

Existem vários tipos de polietileno: Polietileno de Alta Densidade, Polietileno de baixa densidade linear, o de baixa densidade, dentre outros. Eles se diferem pela sua densidade e ramificações da cadeia. Somando todos, consumiu-se 31,9%. Ele é um termoplástico, constituído basicamente por carbono e hidrogênio.

Em geral, as características do polietileno são: inerte, atóxico, pouca estabilidade dimensional, fácil processamento e reciclável. Propriedades como resistência à tração e fadiga variam conforme no PE.

Suas principais aplicações são sacolas, embalagens, caixa d’água, baldes, dentre outros.

2)     PP – Polipropileno

O PP tem 21,6% do consumo total. O polipropileno é um termoplástico produzido a partir do gás propeno (ou propileno). Tem como principais propriedades o baixo custo, elevada resistência química, fácil moldagem e coloração, atóxico, alta resistência à fratura por flexão ou fadiga, boa estabilidade térmica e boa resistência ao impacto acima de 15ºC.

É extremamente reciclável. Tem como aplicações em embalagens, brinquedos, copos plásticos, seringas de injeção, autopeças, tupperware. Além disso, o PP tem grande afinidade com cargas e fibras.

3)     PVC – Policloreto de Vinila

O PVC corresponde à 13,6% do total. Ele não é 100% originado do petróleo devido a adição de cloro, sendo, então, formado basicamente por etileno e cloro. Sua polimerização ocorre através da reação de radicais livres de cloreto de vinila, podendo ser através da polimerização por suspensão, emulsão, solução ou em massa.

Uma das principais características deste termoplástico é ser naturalmente antichama. Isso ocorre pois, durante a queima do polímero, ocorre a liberação de HCl, que ocupa o lugar do ar por ser mais denso. Assim, a chama se extingue. Além disso, possui excelente resistência química, é atóxico e inerte. É isolante térmico, elétrico e acústico, impermeável a gases e líquidos e possui longa vida útil. É aplicado em tubos, forros, luvas, janelas, botas, capas para celular e etc.

4)     PET – Polietileno Tereftalato

Também conhecido como Polietileno Tereftalato, o PET, é um poliéster termoplástico e corresponde à 8,1%. É formado pela reação entre o ácido tereftálico e o etileno glicol.

Este material pode ser processado de diversas formas, assim como o PP e o PE. Por ser um material higroscópico, necessita de secagem por algumas horas. Caso essa secagem não ocorra, pode sofrer degradação. Suas principais características são: quimicamente inerte, alta resistência ao impacto e à tração, e excelentes propriedades de barreira a gases e odores.

Tem como principais aplicações: garrafas, embalagens, tecidos, fitas de arquear, telhas, entre outras.

5)     PS – Poliestireno

O PS, um termoplástico homopolímero resultante da polimerização do monômero de estireno, corresponde à 9,1%, sendo que destes, 2,6% são de poliestireno expandido (EPS).

Sua principal característica é a flexibilidade ou moldabilidade sob ação do calor, promovendo o fácil processamento. Além disso, possui baixo custo, é semelhante ao vidro, elevada resistência a ácidos e álcalis, e é reciclável. Possui baixa densidade, absorção de umidade, resistência à solventes orgânicos, calor e intempéries.

O PS é encontrado no isopor (EPS), isolante térmico, garrafa, copos, elementos aerodinâmicos, entre outros.

Copos de poliestireno (plástico)

Figura: Copos de poliestireno

 

6)     Plásticos de engenharia

Alguns autores definem os plásticos de engenharia como materiais estáveis que são utilizados com grandes esforços mecânicos, elétricos, térmicos, químicos e ambientais. Em geral apresentam alto módulo de elasticidade, boa resistência ao impacto, à tração e flexão. Possuem boa estabilidade dimensional a alta temperatura, resistência à degradação térmica e à oxidação. Boa resistência a reagentes e solventes. Eles correspondem à 6,6%.

Eles podem ser divididos em duas categorias: uso geral e uso especial. Os primeiros são, por exemplo: Polietileno de ulta alto peso molecular (PEUAPM), polióxido de metileno (POM), policarbonato (PC) e o náilon (poliamida alifática – PA). Os especiais: poli(tetrafluoro-etileno) (Teflon – PTFE), poli(éter-eter-cetona) (PEEK) e a poliftalamida (PPA). Não podemos deixar de citar o ABS (acrilonitrila butadieno estireno) e o SAN (estireno acrilonitrila), que são dois dos plásticos de engenharia mais utilizados.

Estes são encontrados em aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, celular, móveis, brinquedos, dentre outros.

 

Existem muitas outras resinas, bem como blendas e compósitos que não entraram na nossa lista. Não que eles não sejam importantes, mas o uso destes materiais é muito mais específico, fazendo com que o consumo seja muito menor.

A Afinko Polímeros trabalha com análise das propriedades de todos estes materiais através dos ensaios laboratoriais. Além disso realiza projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, além do estudo sobre análise de falhas.
Tem interesse em algum de nossos serviços? Solicite um orçamento: http://afinkopolimeros.com.br/servicos/

 

Gostou da matéria?
Confira mais no nosso blog: http://afinkopolimeros.com.br/blog/


Nós recomendamos:

Plásticos de Engenharia – Principais Tipos e Sua Moldagem por Injeção – Edson Roberto Simielli

ABIPLAST – Perfil 2017

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] que os polímeros tradicionalmente usados para impressão 3D, como PLA e ABS (ABS é um dos 6 polímeros mais utilizados no Brasil), possuem grandes limitações que os impedem de ser usados, por exemplo, em um carro. O PLA tem Tg […]

Os comentários estão fechados.